• UNIDADE 01 - BELA VISTA

   Rua Itapeva, 518 - Bela Vista - São Paulo 
   Conj. 901 - fone/fax: 11 3262.4745

   Whatsapp: (11) 98758-7663

• UNIDADE 02 - VILA CLEMENTINO

   Rua Diogo de Faria, 1202, Conj. 91 - Vila Clementino - São Paulo

   fone/fax: 11 5083.1743
   Whatsapp: (11) 98474-6600

• UNIDADE 03 - ITAIM BIBI

   Rua Joaquim Floriano, 101 - 3º andar - Itaim Bibi - São Paulo 

   fone/fax: 11 3071.3080
    Whatsapp: (11) 998888577

 

• UNIDADE 04 - BELA VISTA

   Rua Itapeva, 518 - Bela Vista - São Paulo 

   Conj. 910 - fone/fax: 11 3288.6000
   Whatsapp: (11) 98758-7663

 

• UNIDADE 05 - VILA OLÍMPIA

   Rua Gomes de Carvalho 1581 - Vila Olímpia - São Paulo 

   fone/fax: 11 3846.4446
    Whatsapp: (11) 93364-4446



A MedFlex é a única do segmento de locação de consultórios com quatro unidades em São Paulo.
Consulte disponibilidade de salas e horários, aqui

© 2019  |  medflexconsultorios.com.br  |
Atualizado: Global Map

PREVENÇÃO E CÂNCER DE MAMA!

Neste mês de outubro são feitas as campanhas de prevenção e conscientização do câncer de mama, que é uma das causas mais importantes de mortalidade feminina, infelizmente.

“Na atualidade, se tem discutido muito quando começar a fazer o exame de mamografia e com que periodicidade. Em muitos países desenvolvidos tem se sugerido que ela seja feita apenas depois dos 50 anos de idade. Em nosso meio, estamos acostumados a fazer o ultrassom das mamas em mulheres jovens e a partir dos 40 anos de idade acrescentamos a mamografia e costumamos repetir esta dupla anualmente”, diz a ginecologista dra. Reina B. Groszmann, da Unidade da MedFlex Consultórios. 

Segunda a médica, já no caso de mulheres que tenham antecedentes familiares com a doença ou que tenham outros predisponentes a mamografia os exames podem e devem ser feitos antes dos 40 anos. “Nos dias de hoje, para nos ajudar com o diagnostico e a extensão da doença, temos também lançado mão da ressonância magnética da mama”, completa a especialista.

Dra. Reina ressalta a importância da consulta ao ginecologista de forma regular onde é feito o exame clínico completo. Com o autoexame da mama, feito ao menos uma vez ao mês para que cada mulher, para perceber qualquer diferença que  surja na região, além de solicitar, caso necessário, os exames complementares que envolvem análises de imagem e dependendo da situação até biopsia da mama. “São as formas que temos para detectar e fazer o diagnostico o mais precoce possível. Não se consegue prevenir, mas temos como objetivo a detecção precoce”.  

Sobre o tratamento de câncer de mama:

De acordo Dra. Reina, o tratamento envolve o tratamento cirúrgico, quimioterápico e radioterápico, além do apoio psicológico que tem um papel muito importante . O tratamento cirúrgico pode ir desde a retirada de parte da mama (quadrante) até a retirada completa da mama e de gânglios para verificar o comprometimento e em casos muito específicos a retirada de ambas as mamas, seguido sempre que possível da reconstrução o mais rápido. A partir desta fase se faz a programação do que mais é necessário  - quimioterapia, radioterapia, que tipo, por quanto tempo, às vezes só a cirurgia é suficiente- e outras vezes pode haver necessidade de se fazer tratamento via oral por cinco anos ou mais. 

“Cada caso é avaliado de forma exclusiva, porque há muitos fatores envolvidos. Nos dias de hoje e com os avanços da medicina, tanto na detecção precoce quanto nos tratamentos cirúrgicos e complementares, o percentual de cura tem crescido muito. Não podemos de nos esquecer que apesar de raro, o câncer de mama não é exclusivo do sexo feminino, o homem também pode ser acometido pela doença”, finaliza a nossa entrevista especial do mês.